26 de abril de 2020

Como tudo mudou desde o ano passado

Esse post não tem muito sentido, é mais um compilado de sentimentos que a quarentena me trouxe, mas que, apesar dos pesares, esse foi um sentimento bom.

Nos últimos dias isso não sai da minha cabeça: o quanto eu mudei desde o início do ano passado. Eu fiz um post falando sobre o quão louco foi 2019 pra mim no final do ano, mas como muita coisa aconteceu desde então, eu decidi que eu queria documentar isso. Falar sobre, escrever sobre isso que eu tô sentindo com tudo isso. Acho que isso de ficar em casa o tempo todo me fez pensar muito mais e perceber o que eu quero pra minha vida pós quarentena, me fez pensar que tinha tanta coisa que eu tava esperando por algo que nem existia pra fazer (os vlogs é um bom exemplo disso).

Esse no começou com uma Pietra de viagem marcada pra São Paulo, sozinha. Há dois anos, eu fui na Campus Party, mas fui com um bando de gente junto. No ano seguinte, por alguns problemas não pude ir, mas sempre cogitando ir em 2020 pra lá. Acontece que esse pensamento sempre vinha seguido de um “se o pessoal pilhar”. Só que eu gosto de tudo planejado, tudo certinho. Então eu percebi que se eu ficasse esperando o pessoal decidir se ia ir ou não, ia ficar em cima da hora e eu odeio resolver qualquer coisa em cima da hora. Daí veio aquele pensamento: “cara, eu vou marcar minhas férias, comprar o ingresso e comprar as passagens. Se o pessoal for, beleza, se não for, tudo bem eu faço amizades por lá e eras isso mesmo.” E eu realmente fui lá e fiz isso. Pode ser que a viagem não role por causa do corona, mas pelo menos foi mais uma coisa que eu decidi que podia fazer sozinha.

Em fevereiro, eu me mudei. Desde o final do ano passado a gente tava em função de contrato pra compra do apê, e eu tava muito cagada. Medo de ficar sozinha, medo de não me adaptar, medo de não dar conta. Mas eu só pensava: “caralho, mano, é o meu maior sonho que tá se realizando”. Infelizmente eu só fiquei um mês lá. Por conta do corona, resolvi ficar com meus pais. Eu me adaptei a ficar sozinha no apartamento, mas eu podia sair, eu ia pro trabalho e tudo mais. Mas ficar 100% sozinha o tempo todo, sem poder sair, sem poder ver gente ia ser meio complicado pra mim, então achei melhor pra minha cabecinha ficar em Guaíba mesmo. Mas cara como eu sinto falta de lá e como eu quero que tudo isso acabe pra eu poder voltar pro meu cantinho!

Fora isso, durante esses 4 meses de 2020 eu tomei algumas decisões sobre o que eu quero pra minha vida. Parece profundo mas nem é tanto. Ainda mais durante a quarentena, eu parei pra pensar se eu tava fazendo o que eu queria e se eu tava vivendo a vida que eu queria viver, em uma parte sim, mas ainda tinha coisas que eu queria fazer mas que eu não fazia por algum motivo. Foi quando eu comecei a fazer os vlogs, os vlogs são basicamente um modo eu lembrar das coisas. Eu sou bem esquecida e eu gosto de registrar as coisas pra lembrar depois, sabe? E foi isso que eu comecei a fazer: registrar tudo o que acontece e postar no youtube pra que depois eu possa ver e lembrar de tudo (ou quase tudo). Eu lembro das coisas, mas eu preciso de algo que me faça lembrar: uma foto, um vídeo, um registro.

Outra coisa que eu decidi é sobre o quanto eu gosto de viajar. Eu vou falar mais sobre isso no próximo post que eu vou escrever mas em muito mais a ver com experiências que eu quero ter na vida. Leiam o post de dois dias depois desse por que ele vai explicar um pouco sobre isso e sobre as decisões que eu tomei quanto a isso esse ano.

Mas no geral, tudo o que eu falei tem a ver com uma coisa. A mesma coisa que fez meu 2019 mudar muito. Aprender a fazer as coisas sozinha e a me virar sozinha. Cara, se eu não tivesse tomado a decisão de ir sozinha pra Curitiba, se eu não tivesse surtado lá, muita coisa não estaria acontecendo agora. Cogitar viajar sozinha? Jamais. Me mudar e viver sozinha? Dificilmente. Eu sei que é repetitivo eu falar disso, e eu sempre dou Curitiba como o exemplo da minha vida, mas eu realmente considero essa viagem o divisor de águas da minha vida.

Era só isso, um post meio desabafo sobre tudo o que tá passando nessa cabecinha que não sabe lidar com o fato de não saber quando tudo isso vai melhorar e vai poder voltar a oficialmente planejar tudo o que quero fazer.

 

Nenhum comentário
Pietra Olsen

Deixe o seu comentário!