20 de maio de 2019

O dia que eu coloquei um piercing

Umas duas semanas atrás, minha professora de Inovação deu uma aula maravilhosa sobre criatividade: assistimos um documentário e debatemos sobre o fato de que sair da zona de conforto aumenta a nossa criatividade. Quando a gente faz coisas que não estamos acostumados a fazer, abrimos uma gama maior ainda de possibilidades e ideias novas pra gente. Ela questionou o que a gente tinha feito nos últimos tempos de novo, de algo que a gente nunca tenha feito na vida e cada aluno contou sobre as suas coisas, eu contei sobre a viagem pra Curitiba e o quanto ela foi significativa pra mim. No final da aula, ela nos fez um desafio: a gente teria que fazer algo que a gente tinha vontade mas que a gente nunca tinha feito na vida por qualquer motivo. Claro, tinham regras: não podia ferir a integridade física e moral de si mesmo e de outras pessoas, teria que ser algo que poderia ser documentado e que mudasse algo na nossa vida.

Eu fiquei bem em dúvida do que fazer e pedi ajuda do povo: teve gente que disse pra eu comer sushi, mas isso não ia mudar muito na minha vida; teve também ir no cinema sozinha (eu ainda quero fazer); teve fazer um vídeo falado pro youtube (eu ainda quero fazer também); eu também pensei em ir fazer trabalho voluntário, mas era muito em cima da hora. E teve uma ideia que me conquistou: colocar um piercing. Eu sei, num primeiro momento parece aleatório e que não vai mudar nada na minha vida, mas eu vou contextualizar e tudo vai fazer sentido sobre o porquê de eu ter escolhido fazer isso.

Pra muitas pessoas não é novidade que eu tenho alguns problemas em fazer qualquer coisa sem a aprovação dos meus pais. Conseguir fazer qualquer coisa que meus pais não aprovem ou não concordem é bem complicado pra mim. O que me limita muito com as coisas que eu quero fazer. E isso sempre aconteceu com o fato de eu querer colocar um piercing. Eles não aprovavam e eu adiava a ideia: quem sabe quando eu morar sozinha, quem sabe quando… As condições eram infinitas!

Desde o ano passado eu mudei muito, eu passei a perceber o quanto eu preciso fazer as coisas por mim e as coisas que eu quero fazer. Foi isso que aconteceu com a viagem pra Curitiba e um dos motivos de eu ter ido.

Então eu decidi colocar o piercing. Beleza, não é algo grandioso nem nada, pra falar a verdade é algo bem pequeno, mas pra mim fez toda a diferença. Conseguir fazer as coisas apesar das críticas e da não aprovação da minha própria família, sabe? Tudo bem, não é algo que faria eu ser expulsa de casa nem nada, é óbvio. Mas eu também não poderia começar metendo o louco né? Hihi

E o que isso mudou na minha vida? Eu consigo visualizar mais as possibilidades que eu tenho apesar da opinião dos outros. É claro que eu não consigo 100%, mas saber que eu fiz algo me motiva a pensar nos que eu realmente quero fazer e que eu nunca fiz por causa dos outros.

Então é isto. Façam as coisas de vocês e por vocês, independente do que os outros vão pensar ou dizer.

Ah, e pra quem quiser saber: eu coloquei meu piercing com a Jully da Design Tattoo aqui em Guaíba mesmo.

Nenhum comentário
Pietra Olsen

Deixe o seu comentário!