Postagens sobre "Aleatoriedades"

2 de janeiro de 2020

A loucura de 2019

2019 foi uma loucura do início ao fim. Eu consigo ver nitidamente o quanto eu mudei nesse ano, o quanto eu melhorei, o quanto eu me conheci, o quanto eu sei mais quem eu sou.

Janeiro

O ano começou com a viagem mais importante da minha vida e eu falei sobre isso aqui e aqui. Eu viajei completamente sozinha e acho que foi a experiência que começou a transformar o meu ano.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Pietra Olsen (@pietraolsen) em

Fevereiro

Cara, fevereiro foi meu aniversário mas parece que ficou no limbo do meu ano. Teve meu aniversário e depois disso eu não lembro de nada que teve no meu mês!

Março

Teve carnaval e eu fui pra Floripa com a minha irmã e meu cunhado.

Abril

Abril teve show da Manu Gavassi.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Pietra Olsen (@pietraolsen) em

Maio

Maio foi outro limbo na minha vida e eu não lembro nada do que aconteceu. Ah, eu cumpri aviso prévio, única coisa que eu me lembro.

Junho

Em junho, eu troquei de empresa e conheci pessoas maravilhosas que trabalham comigo.

Julho

Em julho eu tava bem louca apresentando tcc e ect e cara eu só queria terminar essa bagaça logo.

Agosto

Em agosto teve a formatura de uma das minhas melhores amigas e teve show do Onze:20 com o Gabriel Elias.

Setembro

Em setembro teve outra viagem muito importante: fui pro Rio de Janeiro, pra Bienal do Livro, com a minha gêmea numa trip só das manas. Gravei vlog e tá aqui. Também teve show do Strike!

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Pietra Olsen (@pietraolsen) em

Outubro

Outubro teve show da Fresno e que saudade que eu tava!

Novembro

Novembro teve show do Jão e caralho que homem maravilhoso!

Dezembro

Final de ano é sempre muito louco pra mim, eu tô sempre bem louca, bem instável. Metade de mim feliz com o quase início de um ano novo e a outra metade louca pensando se eu vivi o que eu tinha que viver esse ano.

Eu mudei tanto esse ano, tanto que nem eu mesma tenho noção de como eu vivia sem ser como sou agora. Esse ano foi o ano que eu mais me descobri, mais me entendi, aconteceu muita coisa boa, mas surtei bastante (o que só fez com que eu me conhecesse e me entendesse ainda mais).

Esse ano, eu fiz minha primeira viagem sozinha, fiz uma viagem só com a gêmea também. Conheci 3 capitais que eu ainda não conhecia: Curitiba, Florianópolis e Rio de Janeiro. E isso me mostrou o quanto eu sou capaz de fazer por mim e ir conhecendo aos poucos esse brasilzão! Terminei o ano já com 3 viagens planejadas pra 2020, duas em família e uma sozinha de novo!

Esse ano, eu também zerei meus shows da adolescência: Fresno, Onze:20, Strike e Manu Gavassi. Fora esses show da minha adolescência ainda fui em alguns outros shows: Jão, Anavitória e Melim.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Pietra Olsen (@pietraolsen) em

Esse ano fui em rolês diferentes, fui em lugares diferentes. Fiz mais coisas sozinha, descobri mais do que eu gosto de fazer.

Fiz o tcc e consegui terminar com um A. Me formei, fiz formatura de gabinete, tive meu dia de princesa no salão de beleza e fomos comer pizza.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Pietra Olsen (@pietraolsen) em

Durante esse ano, eu fiz aula de pole dance. Foi uma das coisas mais legais do ano, mas precisei parar por questões burocráticas de tempo e prazos pra fazer as aulas. Mas pretendo voltar assim que possível (ou pra alguma outra aula de dança).

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Pietra Olsen (@pietraolsen) em

Prometi que ia passar uns 6 meses sem estudar pra poder descansar. Menos de dois meses depois me meti em um curso de maquiadora profissional (que falei sobre aqui e aqui) de dois meses e meio todo dia. Foi bem louco, extremamente cansativo, nas duas últimas semanas eu só queria dormir, mas foi uma experiência maravilhosa, conheci gente incrível, aprendi mais sobre esse universo que eu tanto amo.

Esse ano, eu troquei de emprego, depois de dois anos e meio trabalhando em uma agência. Isso me fez conhecer pessoas maravilhosas e me faz conseguir realizar alguns outros sonhos, além de conseguir viajar (que é a coisa que eu mais amo).

Finalmente criei o canal do blog como complemento do blog. Onde postei todos os vídeos da Glambox e vlog de Curitiba e da Bienal.

Tem muita coisa ainda que preciso melhorar, tem muita coisa que ainda quero fazer e coisas que já estão em progresso ou planejadas. Mas eu tô muito feliz pela pessoa que estou me tornando! Conseguindo dar meus corres por mim, fazendo mais por mim e descobrindo do que realmente gosto e o que realmente quero pra minha vida.

E assim, SÓ VEM 2020! E que tu seja tão incrível quanto eu esteja planejando!

Nenhum comentário
Pietra Olsen
29 de outubro de 2019

Bienal RJ (2019) – Vlog

Desde que eu fui pra Curitiba no início do ano, eu e a Paolla começamos a marcar de viajarmos juntas, só a gente. Como ambas gostamos muito de livros e sempre quisemos ir pra bienal, vimos que era a melhor viagem que poderíamos fazer por agora. A gente queria realmente era ir pra Bienal de São Paulo, mas é só ano que vem 🙁 Então decidimos ir pro Rio mesmo.

Apesar da gente querer ir pra bienal, a gente não queria ficar só no evento, então decidimos que iriamos pelo menos pro Cristo Redentor e pro Pão de Açúcar em um dia pra sermos turistinhas de verdade.

Hospedagem + avião

Meu pai é a melhor pessoa quando se fala de achar voos baratos. Basicamente, a gente tava vendo voos por um valor e meu pai encontrou voo + hotel por esse mesmo valor, então ele é um anjo quando se fala de achar essas coisas de viagem. Bom, a gente comprou o pacote pela Latam Travel e a hospedagem ficou no hotel Ibis Parque Olímpico. Eu particularmente gosto de sempre pegar um Ibis por que eu já conheço e tals, então eu já queria pegar esse hotel por que era o Ibis mais perto do Riocentro (onde acontece a Bienal). O preço dos voos e do hotel pra duas pessoas foi de R$ 892,98.

Bienal

A bienal acontece no Riocentro e a gente foi no último final de semana, ou seja, tava lotada! O ingresso da bienal é R$ 30 inteira e R$ 15 estudante, para cada dia. No primeiro dia chegamos bem tarde, por que o transito tava uma loucura (2h pra andar 4km de táxi) e era o dia do nosso voo pro RJ, a gente mal conseguiu dar uma olhada direito em alguns dos estandes que a gente mais queria olhar. Nesse mesmo dia, tinha a distribuição de livros LGTB feita pelo Felipe Neto, então passamos algum tempo nessa função antes de irmos pra sessão de autógrafos da Paola Aleksandra. Depois estávamos tão cansadas que fomos direto pro hotel pra dormir.

No dia seguinte, saímos do hotel duas horas antes da bienal abrir pra chegarmos antes de começar a ter muito movimento. Acabou que chegamos muito mais cedo e tivemos que esperar 1h30 até a bienal abrir, hihi. Mas Conseguimos chegar cedo e pegar as senhas pra sessão de autógrafos das gurias Melina Souza, Pam Gonçalves, Carol Christo e Babi Dewet. Depois conseguimos ir nos estandes que a gente queria ir e comprar os livros que queríamos ir. Logo mais vou postar o vídeo dos livros que compramos nos dois dias.

Passeio Cristo + Pão

Contei que a gente decidiu que queríamos fazer um passeio pra conhecer o Cristo e o Pão de açúcar, né? Então, a gente só tinha alguns problemas: o dia que a gente tinha livre pra fazer o passeio era o nosso último dia (o voo era as 19h), grande parte dos passeios era de um dia inteiro (ou não tinha os dois pontos) e ficaria corrido fazer o passeio e depois ir pro aero, enhuma agência busca na Barra da Tijuca e teríamos que levar as malas pro passeio pra não perder tempo. Com esses problemas, foi dificil achar um passeio e uma agência que se adequasse ao que a gente queria. Mas depois de muito procurar, encontrei. A City Rio tem um passeio que é apenas o Cristo e o Pão de Açúcar e era apenas de manhã, com isso já resolvemos um problema. Ah, mas não busca na agência, e agora? Conversei com eles e marquei de encontrarmos eles em um hotel em Copacabana, na rua da agência. E as malas? Bom, eles foram super legais e nós conseguimos deixar na própria agência da City Rio.

Nenhum comentário
Pietra Olsen
20 de maio de 2019

O dia que eu coloquei um piercing

Umas duas semanas atrás, minha professora de Inovação deu uma aula maravilhosa sobre criatividade: assistimos um documentário e debatemos sobre o fato de que sair da zona de conforto aumenta a nossa criatividade. Quando a gente faz coisas que não estamos acostumados a fazer, abrimos uma gama maior ainda de possibilidades e ideias novas pra gente. Ela questionou o que a gente tinha feito nos últimos tempos de novo, de algo que a gente nunca tenha feito na vida e cada aluno contou sobre as suas coisas, eu contei sobre a viagem pra Curitiba e o quanto ela foi significativa pra mim. No final da aula, ela nos fez um desafio: a gente teria que fazer algo que a gente tinha vontade mas que a gente nunca tinha feito na vida por qualquer motivo. Claro, tinham regras: não podia ferir a integridade física e moral de si mesmo e de outras pessoas, teria que ser algo que poderia ser documentado e que mudasse algo na nossa vida.

Eu fiquei bem em dúvida do que fazer e pedi ajuda do povo: teve gente que disse pra eu comer sushi, mas isso não ia mudar muito na minha vida; teve também ir no cinema sozinha (eu ainda quero fazer); teve fazer um vídeo falado pro youtube (eu ainda quero fazer também); eu também pensei em ir fazer trabalho voluntário, mas era muito em cima da hora. E teve uma ideia que me conquistou: colocar um piercing. Eu sei, num primeiro momento parece aleatório e que não vai mudar nada na minha vida, mas eu vou contextualizar e tudo vai fazer sentido sobre o porquê de eu ter escolhido fazer isso.

Pra muitas pessoas não é novidade que eu tenho alguns problemas em fazer qualquer coisa sem a aprovação dos meus pais. Conseguir fazer qualquer coisa que meus pais não aprovem ou não concordem é bem complicado pra mim. O que me limita muito com as coisas que eu quero fazer. E isso sempre aconteceu com o fato de eu querer colocar um piercing. Eles não aprovavam e eu adiava a ideia: quem sabe quando eu morar sozinha, quem sabe quando… As condições eram infinitas!

Desde o ano passado eu mudei muito, eu passei a perceber o quanto eu preciso fazer as coisas por mim e as coisas que eu quero fazer. Foi isso que aconteceu com a viagem pra Curitiba e um dos motivos de eu ter ido.

Então eu decidi colocar o piercing. Beleza, não é algo grandioso nem nada, pra falar a verdade é algo bem pequeno, mas pra mim fez toda a diferença. Conseguir fazer as coisas apesar das críticas e da não aprovação da minha própria família, sabe? Tudo bem, não é algo que faria eu ser expulsa de casa nem nada, é óbvio. Mas eu também não poderia começar metendo o louco né? Hihi

E o que isso mudou na minha vida? Eu consigo visualizar mais as possibilidades que eu tenho apesar da opinião dos outros. É claro que eu não consigo 100%, mas saber que eu fiz algo me motiva a pensar nos que eu realmente quero fazer e que eu nunca fiz por causa dos outros.

Então é isto. Façam as coisas de vocês e por vocês, independente do que os outros vão pensar ou dizer.

Ah, e pra quem quiser saber: eu coloquei meu piercing com a Jully da Design Tattoo aqui em Guaíba mesmo.

Nenhum comentário
Pietra Olsen
123...>>