Postagens sobre "Filmes"

20 de junho de 2020

Brincando com Fogo (Too Hot Too Handle)

Depois de 2 meses, 2 fucking meses, eu terminei de assistir Too Hot Too Handle. E não se engane, não é por que eu não gostei ou algo do gênero. Eu ameeeeei!

Obviamente sou obrigada a avisar que contarei spoilers por que né, nem sei como falar disso sem falar algo que possa ser um spoiler.

Então, Brincando com fogo é um reality show estilo De férias com o ex: um bando de jovens lindos e maravilhosos em uma praia muito bonita por algumas semanas. Porém tem o seu diferencial: em Brincando com fogo os participantes não podem se pegar, se beijar, transar, nada sexual é permitido. Caso alguém quebre as regras, uma parte do grande premio de 100k dólares será perdida e esse dinheiro é de todo mundo. Se um quebra as regras, todo mundo perde.

A ideia é a seguinte: em vez de criar conexões carnais criar conexões mais profundas uns com os outros. Eu curti muito a ideia, porém achei bem forçado o quanto as pessoas estavam desesperadas por não poder trocar sequer saliva com os outros. Mas ok, vamos não pensar tanto assim.

Eu me apaixonei pelo Harry e pela Francesca desde o início, talvez pelo fato da Francesca ser um mulherão e o Harry parecer ser apenas um garotinho. Obviamente fiquei bem pistola quando o Harry fez a cagada de mentir sobre o beijo dele com a Francesca (perdendo o dinheiro de todo mundo). Mas depois torci muito pra eles ficarem juntos.

O Sharron e a Rhonda foi outro casal que eu amei, o quanto eles cresceram, o quanto eles se fizeram bem. Confesso que eu amei como o David lidou com o fato de estar a fim da Rhonda, mas ser amigo do Sharron e o como ele lidou com o dilema amigo x mulher. Senti um puta orgulho.

Pessoas irritantes: Kori, Hailey e Bryce. Tanto que os dois primeiros foram expulsos e ficaram sem o prêmio, o Bryce ficou meio legal no final e pode ficar até o finzinho.

Ai, gente! Eu amo a Lana, tanto, tanto, tanto.

Todo mundo, inclusive os próprios participantes, achava que teria apenas um vencedor. Alguns até tentaram descobrir quem ia ganhar, achando que o prêmio seria em casal: pra Francesca e pro Harry, ou pra Rhonda e pro Sharron. Porém, ninguém imaginava que o prêmio seria dividido entre todos os participantes que chegaram até o final, por todos terem conseguido atingir as expectativas do programa (exceto os que foram expulsos antes do retiro).

Eu amei, e recomendo que todos assistam.

Nenhum comentário
Pietra Olsen
5 de maio de 2020

Bravetown (filme)

Então, eu vi um vídeo que tinha cenas desse filme, fui pesquisar e descobri que tinha o Josh Duhamel, que é meu amorzinho, e fiquei louca pra assistir.

Tudo bem, eu achei que era um daqueles filmes clichês do filho que faz merda e é obrigado a ir morar com o pai. Mas gente, eu não tinha como estar mais enganada!

Sim, a premissa inicial é essa.

Josh é dj e depois de ter uma overdose por conta de droga, acaba sendo obrigado pela justiça a morar com o pai, o qual nunca conviveu. Ele odeia, é obvio. Mas é obrigado a conviver.

Lá ele é obrigado a fazer terapia com o Alex (que é o Josh Duhamel) e acaba conhecendo a Mary na escola, ela é do grupo de dança da escola e ele acaba ajudando a equipe com as músicas pros torneios.

Ok, essa é a ideia inicial e eu achei que ia ficar envolta do relacionamento do pai dele ou do relacionamento dele com a Mary, mas não. Tem muito mais a ver com como as pessoas lidam com a perda (a cidade é cheia de gente que perdeu alguém na guerra), saber perdoar, saber se perdoar e enfrentar os próprios problemas. E é maravilhoso, assistam, é sério!

Nenhum comentário
Pietra Olsen
17 de abril de 2020

Modo Avião (filme)

Ain gente, eu sei que é estranho mas mesmo com 23 anos eu amo esses filmes clichêzinhos adolescentes românticos e tals.

Modo Avião conta a história da Ana (a linda da Lari Manoela), uma digital influencer que não consegue largar o celular em nenhum instante. Tanto não larga o telefone que já bateu o carro inúmeras vezes, tantas que seus pais já ficam irritados e decidem que ela merece um castigo: passar um tempo na casa do seu avô, sem celular.

Mas como eles conseguem convencer ela a ir? Então, eles fingem que é uma decisão judicial e que ela é obrigada a fazer isso, até contratam um ator pra fazer papel do cara que manda ela assinar uns papeis por conta disso.

Então ela vai pra casa do avô dela e obviamente não é um início fácil. Mas já no início ela conhece o João, interpretado pelo André Luiz Franbach, e com o tempo começa a se acostumar com a convivência com o avô.

Lá ela descobre que a avó tem um atelier de costura e começa a exercer seu grande sonho: ser estilista, e acaba desenhando uma coleção inteira.

Tudo dá certo, os pais dela voltam e ela acaba descobrindo que os pais mentiram pra ela e fica muito chateada com eles, inclusive acaba saindo de casa e morando sozinha em um apê. O João já sabia dessa treta toda e acabou ficando separado dela também.

Depois de um tempo, ela descobre que a coleção que ela desenhou foi roubada pela True Fashion, agência que ela trabalhava antes de ir pro “retiro espiritual” na casa do avô. Todo mundo se junta (o avô, os pais, o João) pra desmascarar a infeliz que roubou a coleção.

Dá tudo certo e todo mundo se ajeita no final.

O filme é beeeeem fofinho e bem adolescente mesmo. Mas é um amorzinho só!

Assitam, please!

Nenhum comentário
Pietra Olsen
123...>>