11 de setembro de 2018

Submerso, Eduardo Cilto

3virgula14 | Submerso

Acho que já falei algumas vezes sobre o quanto eu tenho gostado de livros brasileiros e de autores jovens. É aquelas coisa da identificação: eu consigo me identificar mais com a escrita, com os personagens e com o contexto que o personagem vive já que é no meu país. E essa semana entrou mais um livro pra minha lista de livros brasileiros livros: Submerso, do Eduardo Cilto.

3virgula14 | Submerso

Submerso conta a história do Dimitri, ou Demo pros amigos ou Dimi pro pai dele. Dimitri mora em São Paulo e perdeu a mãe algum tempo atrás e ainda não sabe lidar direito com isso. Por conta disso, ele desenvolve alguns problemas psicológicos (tudo indica que seja Depressão, mas não está escrito no livro). O livro começa com ele pintando o cabelo de azul e indo trabalhar na última locadora de filmes da cidade, mas decidindo sair com os amigos. No bar onde vão, ele se envolve em uma briga por defender Clarissa, sua melhor amiga, e vai parar na delegacia por ser menor de idade e estar portando uma identidade falsa. Com isso, seu avô acha que o melhor pra ele é ir para o Acampamento Misfit, uma acampamento para jovens desajustados, mas seu pai é contra. Porém, Dimitri resolve ir para o acampamento por conta de se ajudar para assim ajudar o pai.

Quando chega no acampamento, ele conhece Alma, filha dos coordenadores do acampamento, e Henrique, seu colega de quarto. Já no seu segundo dia, acontece algo de errado no acampamento: o “Fantasma” ataca e picha as paredes “Não confie neles”. Com isso, Dimitri descobre que exitem algumas pessoas do acampamento que “seguem” o Fantasma, dentre elas, o Henrique e mais dois amigos, que suspeitam que Alma deve saber o que tem de errado com o Acampamento. E é a partir daí que o livro se desenrola: com Dimitri vivendo no acampamento e aprendendo a lidar com seus próprios pensamentos e tentando ficar bem, aprendendo sobre sua sexualidade, tentando convencer os amigos de que Alma não sabe de nada sobre os mistérios do Misfit.

3virgula14 | Submerso

“As coisas que me fascinam também me amedrontam.”

3virgula14 | Submerso

“É no caos que minha mente se esvazia e meus pensamentos se encontram.”

3virgula14 | Submerso

“Após grandes períodos de felicidade, sempre vem a tristeza. Uma vez que você atinge o ápice, o caminho que resta é ir para baixo.”

3virgula14 | Submerso

Sinceramente, quando li o textinho da capa do livro e o final dos agradecimentos (tem os contatos do Centro de Valorização da Vida), imaginei que ele seria mais pesado e com algum tipo de gatilho. Felizmente, não foi.

Esse parágrafo, possivelmente, conterá spoilers. Se não quiser ler, pode pular! Uma coisa que me deixou confusa durante o livro foi que, no primeiro momento que a Alma aparece na história, eu imaginei um lindo romance entre os dois, porém não aconteceu. O que aconteceu foi que o Dimitri fica e namora com o Henrique depois. Confesso, eu adorei como isso foi abordado, mas ainda tinha uma pequenininha parte de mim que ficou triste por ser shippado ele com a Alma e não acontecer. 

A cada novo capítulo do livro, tem uma música que transmite um pouco do que está por vir. Segue a playlist do próprio escritor com as músicas do livro:

“Submerso, tudo é quieto e pacífico, posso jurar que até o tempo passa mais devagar quando estamos lá, em câmera lenta, como se estivéssemos em nosso próprio universo ou em nossa própria bolha.

Também segue o booktrailer que o próprio Eduardo fez do livro:

3virgula14 | Submerso

“Não que eu acredite cem por centro no que digo, mas, às vezes, temos de nos demonstrar otimistas para apaziguar o coração de quem é importante para nós.”

Submerso / Eduardo Cilto. – São Paulo: Planeta do Brasil, 2018.

Quem quiser comprar o livro, é só clicar aqui. O Edu também tem outro livro, se quiser comprar Traços é só clicar aqui.

Para acompanhar o trabalho do Edu, é só seguir no Insta, no Twitter e no Youtube.

Nenhum comentário
Pietra Olsen

Deixe o seu comentário!